entrevista: IDens

A essência do IDens é rock, se misturando, sem medo e com bastante propriedade, a diversos subgêneros dentro dele. Formada na cidade mineira de Ouro Preto em 2010 a banda lançou em setembro de 2012 seu disco autointitulado. Para ele, Guto Santiago [voz, guitarra e sintetizadores], Felipe Vecchia [baixo] e Rafael Risoar [bateria] ganharam o reforço do capixaba Giuliano de Landa [Fundamental Zero, Audio, Dead Fish] que além da produção em seu estúdio, o Monollito, contribuiu com solos de guitarra e fazendo a segunda voz. Conversamos com o grupo para conhecê-lo melhor. Confira!

Apresentem o IDens, vocês tocavam ou ainda tocam em outras bandas?
Nós somos uma banda ouro-pretana de rock que começou em 2010! Tivemos outras bandas – nem sempre tocando juntos – nestes quase 15 anos que estamos envolvidos com música. Atualmente todos nós tocamos apenas no IDens.

iDenstagram

Qual vocês acham que seria a melhor definição para o som de vocês?
Somos a mistura clássica das coisas que gostamos: rock, grunge, punk, indie, stoner, progressivo, alternativo… Obscuridade dançante ouro-pretana ou grunge-stoner-rock com especiarias brasileiras são algumas definições que temos trabalhado no IDens.



Quais são as principais influências?
Black Sabbath, Mutantes, Queens Of The Stone Age, Nirvana e Rage Against The Machine.

ouropreto

Como estão as coisas, culturalmente falando, em Minas Gerais?
Em Ouro Preto, apesar de sermos um patrimônio cultural da humanidade, ainda temos características de cidades pequenas para público, casa de shows e bandas, mas estamos evoluindo. Por outro lado estamos bem próximos de Belo Horizonte e lá aproveitamos as vantagens de uma cidade maior. A atuação de coletivos culturais é o que observamos como um dos principais movimentadores da cena cultural de Minas Gerais.

O disco de vocês saiu somente virtual ou também em versão física?
Lançamos virtualmente em setembro de 2012 e o lançamento físico acontecerá em dezembro deste ano.

idens

Queria que vocês falassem um pouco sobre ele, como foi a gravação, quando e onde foi feita…
Fizemos a pré-produção do disco aqui em Ouro Preto no segundo semestre de 2011. Como nosso produtor é de Vitória/ES, fomos na sequência gravar o disco lá no estúdio dele, o Monollito. Gravamos o disco num clima muito maneiro de amizade e liberdade de criação, sem apego ou individualismo. Nossas composições ganharam novas formas e a criatividade e espontaneidade foram fatores determinantes pra criar a atmosfera final que alcançamos.

giuliano
Gostaria também de saber porque escolheram o Giuliano pra fazer a produção do disco e qual foi a influência dele no resultado final.
O Giuliano é reconhecido por aqui. Por seus trabalhos e bandas anteriores. Nosso produtor executivo, o Sandro, foi quem fez o primeiro contato com ele. Em setembro de 2010 gravamos três músicas experimentais pra entender como as coisas iriam fluir. Passamos alguns dias em Vitória e a vibe foi tão intensa que transpomos a barreira do caráter profissional e fizemos um amigo. Um ano depois, começamos a produção do novo disco. A influência dele no trabalho foi primordial pra levar o nosso som exatamente onde queríamos, além de acrescentar elementos, trazendo sintetizadores e texturas de guitarra, dando uma “envelhecida eletrônica” nas músicas… É legal lembrar que a amizade e o bom clima construído foi tão intenso que hoje ele ensaia conosco e vai tocar em nossas apresentações ao vivo, atuando como músico colaborador.

Quais são os próximos planos?
Lançaremos vídeos de algumas músicas em breve. Estamos criando um Centro Cultural em Ouro Preto com diversas artes integradas além da música. Todos da banda estão bastante envolvidos neste projeto. No primeiro semestre de 2013 tentaremos percorrer o maior número possível de cidades pelo Brasil e na sequência nos concentraremos na produção do próximo álbum.

Mais informações: www.idens.com.br
Para baixar de graça seu disco: www.idens.com.br/freedownload
Para conhecer o Monolitto: www.monollito.com

Notícias relacionadas:
chivetarama 2 com Maguerbes, Morto Pela Escola, Facada, The Black Coffins, Zero Zero, Os Bambinos Selvagens, Desenmascarado, Lê Almeida, Motor City Madness, Merda, Renegades Of Punk, Os Estudantes, Leptospirose, Medialunas e Sujeito A Lixo
Bela Vista, Fi! – Maguerbes e o Making Of do disco novo
Macacos Me Mordam – Jesus Macaco – Resenha
Festival de Virilhas – Rolling Stones, Queens Of The Stone Age, Black Crowes, Spinnerette e mais
Corrosion Of Conformity – Psychic Vampire
Air Guitar Is Dead – Red Fang
Red Fang – Wires

5 pensamentos sobre “entrevista: IDens

  1. Escutei aqui, não é muito a minha praia, mas sorte pros caras!
    Eu tinha um cd do Audio por aqui, mas emprestei pra alguém que não me devolveu, hehe, achava legalzinho o som..

    • entendi, Arthur, mas legal que ouviu o som! 🙂
      sei como é isso de emprestar as coisas e não voltar, por isso não empresto disco, livro, essas coisas, sei que muita gente devolve, mas muuuuita não! 😉
      acho que você vai gostar da banda do outro post do dia!

  2. Pingback: RETROSPECTIVA IDENS « MONOLLiTO Record Company

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s