punk safadation english

Punk rock melódico, emo anos 90. Nem sei se essas coisas existem mesmo (risos). Acho que é isso… Guitarrada, muita melodia, nada muito complexo…

Foi mais ou menos assim que a banda curitibana Better Leave Town falou sobre ela quando perguntei.

Se você curte um Hot Water Music, vai simpatizar com os caras, que por enquanto só têm o EP Home Money Love com três sons lançados!

Ah, também disseram Punk Safadation English quando perguntei sobre o som, leia abaixo!


Apresentem o Better Leave Town, vocês tocavam (ou ainda tocam) em outras bandas?
Xao: A banda é formada pelo João (guitarra e voz), Piuí, baixo e voz também, Bino na bateria e eu toco guitarra. Eu e o João tocamos juntos em quase todas as bandas desde os 15 anos, e por aí já foi uma porrada de coisa, hein?! Mas mais recentemente tem o Nunca Inverno, que eu acabei saindo e ele continua.
Piuí: Eu e o Bino também tocamos juntos por vários anos, formamos uma banda em 1999. Depois de vários outros anos sem tocar junto, o convidei pro Better Leave Town e foi como ter alguém na cozinha que já sabe o que tu quer fazer pra janta. Eu toco em outros projetos: Onde Eu Me Encaixo e Holodomor.
Bino: Antes do BLT, toquei no Gisnei Lendia, Miolus Moidus e Kingargoolas.

Quando e como surgiu o BLT?
Xao: É meio difícil dizer quando… Lembro que a gente já conversava sobre fazer um lance nessa pegada fazia tempo, mas o primeiro ensaio mesmo rolou no começo de 2011. O João conversou com o Piuí, ele curtiu a ideia e a gente foi pro estúdio tocar uns convers pra ver o que saía. Quem tocou bateria nesse dia foi o Carioca (ex-Busscops e Nunca Inverno). Acabou que foi legal pra caralho, mas o Carioca foi embora e eu fui pra bateria. Fizemos uns ensaios e saíram dois sons. Mas o lance com uma guitarra ficava muito magrinho, né… Foi quando o Piuí sacou o Bino da cartola e todo mundo ficou feliz pra caralho.

Qual vocês acham que seria a melhor definição para o som de vocêS?
Xao: Cara, acho difícil esse lance de definição. Acho que um punk rock melódico, emo anos 90. Nem sei se essas coisas existem mesmo (risos). Acho que é isso… Guitarrada, muita melodia, nada muito complexo.
João: Punk Safadation English.

O quê seria da vida sem Hot Water Music?
Xao: Porra, depressão total! (risos).
João: 30% menos riffs pra roubar.

Como estão as coisas em Curitiba?
João: Cara, eu vivo em Curitiba há sete anos e desde sempre vi a cena muito segmentada, mas também muito ativa. O psychobilly é gigante, teve uma cena de hardcore melódico grande também nos anos 90 e final dos 00, mas que hoje está morta. O mesmo aconteceu com a cena straight edge, que também foi bastante expressiva, embora nada disso seja uma influência direta pra nós nessa banda…

E hoje em dia?
João: Hoje as coisas estão mornas. O 92º, pico clássico, está de casa nova mas tem feito mais festas e shows de bandas covers. Rolaram bastante shows no Balarama, um restaurante de comida indiana vegana, que tem um porão minúsculo onde rolavam as gigs. O DCE, da UFPR, também esteve na ativa novamente nos últimos três anos e recebeu vários shows legais, hoje tá fechado novamente. Junto com tudo isso rolou uma versão adaptada da Verdurada, vários shows e atividades legais mesmo. Existe também o CCA J13, uma ocupação auto-gerida onde acontecem diversas atividades, inclusive umas gigs, onde já tocamos antes e tocaremos novamente no próximo domingo, 29/07.

E o público?
João: O público em Curitiba é estranho. As coisas vêm e vão muito rápido, as pessoas aparecem e desaparecem. Existem selos que na verdade funcionam mais como distros locais, não lembro de um lançamento com distribuição nacional recente. Mas aí, talvez nós não sejamos as melhores pessoas pra falar da cidade. Ninguém da banda é de Curitiba!

Vocês só têm esses três sons colocados no perfil como Home Money Love?
Na session do Home Money Love gravamos cinco sons, dois não ficaram legais e deixamos fora. Foi tudo gravado junto, ao vivo, a voz entrou depois. Esse EP vai ter uma versão física, alguns selos se prontificaram pra ajudar na distribuição, mas não sabemos ainda como vai ser ao certo, só que com certeza vamos distribuir nos shows e pelo correio, internet. Mas tem bastante coisa rolando, quase material pra um full. Acho que a ideia é ir experimentando nas gravações e ir soltando pequenos EPs. A gente têm dado atenção pra arte. O Rodrigo Botero, tatuador e artista gráfico, fez a arte desse EP e já tá trampando nas artes dos próximos.

Quais são os próximos planos?
Tem um split com uma banda nova de uns amigos de Belo Horizonte que deve sair por um selo de lá até o fim do ano. Deve rolar algo com Oväzio, do Rio, também. Em setembro a gente entra em estúdio de novo, mas nada definido sobre quantas e quais músicas vão sair. Vamos gravar no estúdio de um amigo e ver o que sai de legal. A banda é nova, fizemos poucos shows, mas a ideia é aquela: Tocar o máximo que a gente conseguir, estrada, rever amigos espalhados por aí e sentir como a coisa toda funciona na prática. Tocar na Trama também, porque não (risos).

Mais informações: http://betterleavetown.bandcamp.com/

11 pensamentos sobre “punk safadation english

  1. Cara, minha referência pro tal punk rock melódico é o Black Train Jack, que pra mim é uma das poucas que conseguiu fazer um troço decente nessa linha. Infelismente não é o caso desta banda de curitiba.

    Tibiu, finalmente o Trama ta parando de dar pau nos abaxamento de música.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s