postura hardcore, sonoridade metal

Neste sábado, dia 29 de maio, o Hangar 110 receberá um dos nomes mais respeitados, ativos e batalhadores da música pesada independente nacional: o Confronto.

Formada no final dos anos 90 no Rio de Janeiro, a banda saiu de São João de Meriti — o formigueiro das Américas — para literalmente triunfar pelo mundo.

Depois de alguns lançamentos em CD, o Confronto acaba de coroar sua primeira década em atividade com o DVD 10 Anos de Guerra, lançado pela Seven Eight Life Recordings.

Agora, quase três meses depois de o vocalista Felipe Chehuan sofrer um acidente onde fraturou o fêmur e prestes a embarcar para a Europa (em julho) pela quinta vez, o Confronto luta contra as intempéries e demonstra sua força ao se dedicar — e estar pronto — à “batalha”.

Antes dos shows em São Paulo, o do Hangar 110, organizado pela Balboa Discos, terá ainda Linha de Frente (DF), Your Fall (PR), Inkognitta e Que Fim Levou Valdir? — quem comprar ingressos antecipados na DoomboX (Galeria Ouro Velho – Rua Augusta, 1371, 2º andar, loja 18) poderá escolher de brinde o CD de uma das duas últimas bandas citadas –, e no domingo no festival independente Good Day em Taubaté ao lado de D.P.R., Presthaya, One True Reason e Everybody Needs a True Hero, conversei com o frontman Chehuan.

Falamos um pouco sobre as expectativas das apresentações em São Paulo, a tour da Europa e muito mais. Ah sim, e sobre o debate: o Confronto é uma banda de metal ou hardcore?

Entrevista: Felipe Chehuan
por Ricardo Tibiu
Fotos: Mauricio Santana (www.mauriciosantana.com.br)

No início de março, você sofreu um acidente em casa, acabou fraturando o fêmur e passou por uma operação. O show do Hangar 110 vai ser o primeiro desde então, né? Como é que foi essa recuperação?
Sim, o show do Hangar será o primeiro desde o acidente. Estou há quase três meses parado literalmente, e contando os segundos para voltar aos palcos, as viagens e tudo que envolve a banda. Minha recuperação está sendo muito boa. Cada dia é uma vitória e sábado no Hangar estarei fazendo o que mais gosto nesta vida.

Eu já passei por uma cirurgia no ombro e sei como é chato fazer fisioterapia, mas é muito bom e estimulante sentir a evolução. Pelo curto tempo, dá pra dizer que você se recuperou rápido, acha que isso tem a ver com o fato de você ter um estilo de vida saudável?
Acho que ajudou sim, pois uma alimentação saudável faz a diferença. Passaram-se quase três meses desde o acidente e minha recuperação está sendo muito boa. No ínicio do pós-operatório eu cheguei a duvidar da possibilidade de voltar a andar este ano. Um turbilhão de coisas passam pela cabeça nessas horas. Mas com a fisioterapia, dedicação e disciplina tudo se resolve.

Parando para pensar hoje o quê mudou da época do Concave e das demo-tapes, para o Confronto consolidado, shows por diversos países e com um DVD coroando seus 10 anos de banda? E o quê ficou?
Muita coisa mudou, muitos shows, lugares legais, países que nunca imaginei conhecer. Meu sonho com o Concave era lançar um CD de verdade, pois na época só existiam fitas-demo e somente algumas bandas tinham CDs lançados. O Confronto me proporcionou muitas alegrias. Depois desses 10 anos o que ficam são lembranças inesquecíveis, shows memoráveis, a possibilidade de registrar parte disso no DVD e principalmente a vontade de prosseguir.

Por falar nisso, qual tem sido a receptividade do público, tanto aqui, quanto lá fora, em relação ao DVD?
A melhor possível, todo mundo que vem falar do DVD o elogia. Isso me alegra bastante pois tudo foi feito com muito carinho e dedicação. Esse DVD não é só do Confronto e sim de uma legião de pessoas que fizeram e fazem alguma diferença na cena independente, underground, hardcore e metal.

Quais são as expectativas para o show no Hangar 110, já que ele será a volta aos palcos?
Estou muito ansioso para este show. Parece que esse acidente zerou parte de mim. Hoje me sinto um pouco renascido, reaprendendo algumas coisas que antes nunca dei valor, esse show será muito especial, pois estipulei a data dele como limite da recuperação. É claro que não será, ainda estarei fazendo fisioterapia até a viagem para Europa. Mas estou contando os dias para chegar em São Paulo e dedicar cada minuto do show a todas as pessoas que torceram pela minha recuperação.

Em julho vocês iniciam mais uma turnê na Europa e que vai até agosto. Vocês já sabem de alguma banda legal com quem dividirão o palco por lá? Mesmo depois de indo várias vezes pra lá — quantas são? — ainda rola uma ansiedade?
Tocaremos em grandes shows e festivais ao lado de bandas como Madball, Agnostic Front, Converge, 108, Cro-Mags, 7 Seconds, Breakdown, The Black Dahlia Murder entre outros grandes nomes… Esta será nossa quinta turnê na Europa e rola sim uma ansiedade em relação ao trâmite, a viagem, as malas, instrumentos e tudo mais. Quanto aos shows eu não me preocupo, pois estamos bem preparados!

Um dia eu vi no Twitter que vocês fizeram uma espécie de enquete com o público perguntando se o Confronto era hardcore ou metal. Qual foi o resultado e como vocês se definiriam?
Metal e hardcore são nossa escola, crescemos ouvindo Pantera, Slayer, Sepultura, Ratos de Porão, D.R.I., Agnostic Front, Suicidal Tendencies etc… O resultado da enquete foi exatamente essa mistura: o Confronto é a banda hardcore com um som muito metal e ao mesmo tempo uma banda metal com a postura muito hardcore. Nossa ideia como banda sempre foi essa, agregar pessoas e sempre fomos motivados por bandas que fazem o mesmo. Os grandes nomes que fizeram isso no Brasil são Ratos de Porão e Sepultura.

Valeu Chehuan, fique à vontade pra convocar a galera pra essa mini-tour paulista!
Desde já agradeço a você Tibiu pela entrevista e espero ver você e toda galera de São Paulo nos shows desse final de semana, sábado no Hangar 110 e domingo em Taubaté.

Links relacionados:
www.myspace.com/confronto
www.fotolog.com.br/x_confronto_x
www.twitter.com/xconfrontox
www.seveneightlife.com

21 pensamentos sobre “postura hardcore, sonoridade metal

  1. Opa Confronto , RJ sempre bem representado.

    Chehuan é gente muito fina, e é flamengo tbm né Tibiu ,…uauauau

    Tudo de bom para ele nessa volta aos palcos , vai dar tudo certo…

    grande abraço e parabens pela entrevista

  2. Muito boa a entrevista! Felipe é um cara dez, assim como os outros comparsas!

    Metal ou Hardcore os dois são bons e com ótimas bandas, e na minha modesta opinião o Confronto é a melhor banda do Brasil a alguns anos!

    Provos Brasil

  3. E ai man esses dois shows vão ser concerteza muito foda!!!
    Tanto pras bandas quanto para toda a organização de ambos shows…. espero que estejam lotados!!
    Boa Sorte CONFRONTO / SHAMIL / E TODA CREW GOOD DAY!!!

    ABRAÇO TIBIU!!!

  4. Depois de ler a entrevista fui procurar algo da banda, muito foda mesmo e vou até comprar o dvd, o vocal do Confronto é o mesmo da exelente Norte Cartel???????

  5. Pingback: entrevista: chehuan [confronto, norte cartel] | chiveta ——¬

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s