sem preguiça de pensar!

Formado na capital carioca em 2007, o Zander tem membros que são e/ou foram de bandas como Noção de Nada, Dead Fish, Deluxe Trio e Heffer.

Em pouco tempo o grupo já conquistou diversos admiradores, isso graças aos dois EPs lançados (Em Construção, 2007, e Já Faz Algum Tempo, 2009), a bagagem de seus integrantes e, claro, a qualidade de suas músicas — sem deixar de citar a explosão que fazem ao vivo por onde passam.

Na próxima sexta-feira, dia 15 de janeiro, o Zander tocará no Hangar 110 ao lado de Garage Fuzz e Fire Driven (nova empreitada do lendário César Lost), antes disso conversamos com o amigo de longa data Gabriel “Bil” Zander. O guitarrista/vocalista falou sobre algumas influências insólitas, as três guitarras da banda, a possibilidade de uma reunião com o Noção de Nada e hmmm mijo… Hein?

Entrevista: Gabriel “Bil” Zander (Zander)
Por Ricardo Tibiu
Fotos por: Mauricio Santana (www.mauriciosantana.com.br)

No show do Hangar 110 que vocês abriram para o Samiam você estava com uma camiseta do Brutal Truth, até conversamos sobre isso… Quais as influências que você e o Zander têm que as pessoas nem imaginam?
Nossa cara, são muitas mesmo. Acho que a gente escuta de tudo mesmo, desde João Gilberto a Krisiun, passando por Bob Marley e Nirvana. Sei lá, acho que em cada música do Zander está escondida, ou às vezes até muito à mostra, muitas das nossas diversas influências. Samiam e Garage Fuzz também são bandas que a gente sempre escutou, então é muito legal de verdade ter a chance de abrir pra essas bandas e não só poder curtir os shows, mas também relembrar um pouco do nosso passado e da nossa história.

Ainda sobre este show com o Samiam, o Guta não tocou então não rolou o formato Iron Maiden com três guitarras porque o Sanfona foi pro baixo. O Guta vem para o show do dia 15?
Não. O Guta está fora do Zander por opção dele. As três guitarras dependem da disponibilidade do Phil, que também toca no Dead Fish e por isso quase sempre rola um conflito de agendas. Esse ano nossa intenção é triplicar o número de shows que fizemos no ano passado, o que infelizmente tornará o esquema com as três guitarras cada vez mais raro. Por outro lado, muitas pessoas terão mais chance de ver o Zander pela primeira vez e também mais vezes. Pode faltar alguma coisa, mas a alma, a energia e a entrega das músicas e das letras estarão lá em todos os shows, independente de qualquer obstáculo.

No dia 23 de janeiro vai rolar o show “Back To 99” no Hangar 110, com a reunião de bandas que já acabaram, como o Heffer. E aí, que tal armar um Noção de Nada old-school com você na bateria e vocal?
Não existe a menor possibilidade. Não é algo que eu queira, nem que eu precise fazer. O Noção de Nada foi uma parte muita intensa e importante da minha vida, foi minha verdadeira escola. Guardo uma lembrança e uma experiência de vida muito bonita que não há como voltar e ser da mesma forma, não me permito estragar essa lembrança de forma alguma. Não seria sincero da minha parte e nunca subiria ao palco se não fosse pra cantar e falar a verdade em relação ao que estou sentindo e vivendo no momento.

Tirando o Guns N’ Roses que estaremos lá pulando abraçados com bandanas e rodando a camisa no ar como fizemos em 2001 no Rock In Rio, quais são as bandas internacionais que você tá aguardando pra esse ano?
Gostaria de ver o Rancid, que parece que vai vir. O Social Distortion também não perco por nada e não seria nada mal se alguém trouxesse o Rise Against, banda que gosto muito. Gostei muito do último disco do Alice In Chains e gostaria de vê-los por aqui também. O Soundgarden também voltou, né? Enfim, na real mesmo preferiria que não viesse ninguém, porque sempre acabo perdendo os shows e depois fico puto, como foi com AC/DC, Metallica, Sonic Youth…

O Zander vai se manter neste formato de lançar somente EPs? Já existe algo para um próximo?
A gente pretende. Estamos com muitas ideias de músicas em andamento e temos algumas já guardadas que sobraram do último EP, então vai ser difícil escolher as seis pra esse próximo, mas, com certeza, até o meio do ano sai algo novo físico e antes disso alguma coisa na internet mesmo. Um clipe novo também já está a caminho.

Além do mate perfeito e do Biscoito Grobo, o quê o Rio tem que São Paulo jamais terá?
Acho que a tranquilidade de olhar o mar, mesmo que seja de longe, você sabe que ele está ali. É uma referência e até um calmante. Acho que esse é o verdadeiro privilégio de quem mora no Rio de Janeiro, de resto acho que não sentiria falta de mais nada em Sampa.

O quê você espera para 2010?
Muitos shows, disco novo, pretendo produzir mais bandas e vou voltar a trabalhar com a Manifesto Discos, onde vou lançar já no primeiro semestre os CDs das bandas Avec Silenzi, StripClub e o novo do Zander.

Pra encerrar, você mijaria num copo e daria, sem que ela soubesse, para uma pessoa que é fã do seu trabalho tomar?
Não e acho essa história tão lamentável que não merece nem ser comentada. Tá aí no YouTube pra quem quiser ver e tirar suas próprias conclusões. Acho que o pessoal tá com preguiça de pensar hoje em dia. Uma pena.

Links relacionados:
www.tramavirtual.com.br/zander
www.myspace.com/zanderblues
www.fotolog.com.br/zanderblues
www.myspace.com/estudiosuperfuzz
www.fotolog.com.br/estudiosuperfuzz
www.manifestodiscos.com.br
www.myspace.com/stripclubrock
www.myspace.com/avecsilenzi
www.myspace.com/firedrivenbr
www.myspace.com/garagefuzz

24 pensamentos sobre “sem preguiça de pensar!

  1. Eles tocaram Sábado passado em um evento em Realengo, não consegui gostar do som dos caras… Mas os caras empolgaram quem ficou até o final do evento para vê-los. Abraços

  2. Esse mês o hangar110..tá cheio de bailes legais…sexta agora garage e zander, depois dia 23 reffer ou heffer como vc gosta de dizer e predial…depois nfaa… só coisa fina

  3. Essa do mijo é lamentavel mesmo. Vontade de dar um murro na cara desses mulekes. Bandinha ruim do caralho mesmo. Adorei a entrevista, Tiba. Bil é um grande irmão nosso e Zander é uma puta banda. Besos.

  4. Lastimavel mesmo..o viadinho do strike fazendo isso..se bem que tietagem é uma parada mto chato..acho que se eu fosse um cantoremoteendosjovens…. não teria paciência pra isso…

    uma coisa que o Bil falou, foi dos shows desse ano..Rancid e Rise Against seria irado tbm….o show do AC/DC poderia rolar novamente..mas dessa vez a preços mais acessíveis..hehhe

  5. nem comentei a parada do strike pq para os fãs juvenis e mesmo pra gruppie lá, q bebeu o mijo, devem de ter achado uma brincadeira hilariante e tão rindo ate agora…nesse verão vai ser a brincadeira da moda… cuidado juvenis com o que vao lhes dar pra beber!

  6. Po tibiu, toda vez que eu encontro algum maluco do noção eu falo pra eles voltarem.Mas eles só riem. E é totalmente compriensível o argumento exposto pelo bil.
    Quanto ao Zander, eu tenho que comentar que nunca tinha visto 3 guitarras em ação ao vivo, e achei demais.Muito completo, igual o cd.E porra eu nunca presenciei ninguem tirar um som tão pesado de uma Epiphone como o bil tira. Vou até perguntar o segredo pra ele se o encontrar por aí.
    Quanto ao strike e o mijo eu vi tudo na brincadeira,sem achar graça ou me indignar . Dei um foda-se. Só acho que cada fã recebe de volta o que é relativo ao som que ele escuta.Se você escuta strike, recebera um copo de mijo. Se você escuta Muzzarelas, um bom sanduiche.Se vocês escuta Merda…

  7. Nunca gostei do noção de nada mesmo, o Delux achei interessante e o zander não conheci…

    …Sobre o lance do strike cara disse tudo cada um que tire suas proprias conclusões a minha é de que eu não sou ninguem para ficar criticando terceiros pois ja fiz muita coisa considerada brincadeira sem noção de pessimno gosto

  8. entrevista muito foda…
    pode cre Ndnada não tem q voltar msm.qm viveu aquela epoca viveu,era fodaaa,e hj em dia eh tbm,mas a promessa do DLX3 volta vai ser comprida???pelo menos foi dito isso no ultim…
    sempre Ndnada…

  9. Entrevista bacana. E gostei bastante do projeto novo do Bil.

    Já esse papo do mijo… moleque imbecil, tinha que dar um copo de porra pra ele beber, dizendo que é Piña Collada. Ou então um belo de um murro na carinha bonitinha dele.

  10. Caralho! não tinha visto essa porra do mijo… que nego otário mano… nossa fiquei puto!

    ps: boa entrevista com o bil, curto muito o trampo da galera lá do rio! agora tem que rolar uma entrevista com o senhor malni que fez na minha opinião um dos discos mais legais de 2009

    😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s