leitura de Merda!

O analfabetismo no Brasil não é algo assim tão sério. Você vê, uns se elegem presidente, outros acabam virando roqueiros e escrevem um livro!

Livro: Una Gira En Sudamerica com o Conjunto de Música Rock Merda
Autor: Fabio Mozine
Resenha por: Ricardo Tibiu

A Läjä Records acaba de lançar um livro indispensável para entender um pouco como funciona a vida dos músicos independentes brasileiros que — por algum motivo — decidem se arriscar (literalmente!) na estrada.

O autor é Fabio Mozine, folclórico baixista do Mukeka di Rato e que por alguma coisa na cabeça (provavelmente a mesma que saiu da boca do presidente Lula!) decidiu montar uma banda e dar o nome de Merda a ela. Mesmo sem saber tocar o instrumento, ele virou o guitarrista do grupo e juntou outros dois retardados/gênios: também do Mukeka pegou o guitarrista Paulista e mandou pra bateria, e Japonês, um oriental falsificado com experiência em tantas outras bandas capixabas e que por vezes já substituiu o próprio Mozine no baixo do Mukeka.

Junte letras absurdamente esdrúxulas, fastcore, samba, visual medonho, funk e muita cara de pau e nasce este power violence favela trio. Eis que os três achando que estavam na Europa onde as turnês acontecem com muita frequência, decidem pegar o Golzinho 1000 do autor (?) e atravessar o Brasil (e ainda a fronteira hermana). Não precisa nem fazer muita força pra adivinhar que deu hmmm Merda… É o que narra o livro Una Gira En Sudamerica com o Conjunto de Música Rock Merda.

Munidos de instrumentos, merchandise (CDs, camisetas, adesivos, buttons e postais) e bigodes horrorosos, os três mosqueteiros saíram de sua Vila Velha, no Espírito Santo, no começo de abril de 2005 para uma aventura que marcou suas vidas. Nela, eles presenciaram estradas perigosas, casas (?) de shows precárias, públicos tão doentes quanto eles, a (já tradicional) corrupção policial, a velha burocracia (de sempre), cachês medíocres (isso quando existiram), bebedeiras sem fim, mau/bom humor (dependendo da situação) e banquetes regados à deliciosa gastronomia de beira de estrada.

Assim passaram por Macaé e Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Guarapuava e Curitiba (PR), Joinville e Florianópolis (SC), Porto Alegre e Santo Antônio da Patrulha (RS), seguiram para peripécias em Montevidéu (Uruguai) e Buenos Aires (Argentina), e ainda voltaram à terrinha, passando novamente por Porto Alegre, Brusque (SC), São Paulo e Atibaia (SP).

A leitura é hilária, não sei se por já ter escutado as histórias da boca dos próprios personagens ou se por ter lido uma versão diferente da que virou a oficial do livro, mas a narrativa tem uma riqueza de detalhes que quase te faz achar que participou dos pitorescos fatos.

Você até releva as centenas de erros de português, mesmo quando dá de cara já na primeira página, ou ainda faz que não percebeu que a Nova Ortografia da Língua Portuguesa começou firme forte e depois desandou geral. Quem liga? É um livro de rock, escrito por roqueiro para roqueiros. O cara (autor) ficou dias sem banho, se alimentou como um mendigo – adquiriu a aparência de um – e sobreviveu… Pra quase morrer em turnê na Europa dois anos depois! Mas isso é assunto de outro livro tão intenso quanto esse: Guitarra e Ossos Quebrados, do Mestre Quique Brown.

As professoras não vão indicar Una Gira nas férias escolares, ele também não estará nas prateleiras de leituras juvenis das Mega Stores, mas uma coisa é certa: o aprendizado da estrada está todo ali! Ah, sim, e numa linguagem (e preço) acessível a todos, pois então faça sua parte: leia!

Links relacionados:
lajarex@uol.com.br (para comprar o livro com o próprio autor e ganhar dedicatória)
www.laja.com.br
www.myspace.com/merdarock
www.fotolog.com.br/lajarecords
www.fotolog.com.br/conjuntomerda

14 pensamentos sobre “leitura de Merda!

  1. 1. uau, duas vezes, MV! gostou mesmo então, legal!

    pois é, fiz as zorebas e o João Gordo a contracapa, uma equipe de Merda!
    😉

    2. é nóise, Rogério!
    haja exercício!
    🙂

    3. tá aí o Kleyton exercitando o direito de filosofar!
    😉

  2. 1. há grandes chances, Beto!
    😉
    principalmente no quesito Nova Ortografia!
    😀

    2. tô ENEM aí, Mauro!
    😉

    ô trocadilho rEdículo, né, foi mal!
    😉

    3. o faça, Beto, boa pedida!

    4. o ruim daí é o frete, né Arthur?
    não tem uma distro daí que pegou uns exemplares?

  3. Tibiu, acho que não viu..
    O único cara que ainda pegava algumas coisas era o Maurílio da Empire, ele tinha uma loja e tal, mas agora tá só com a produtora/selo daí nem rola nada.. Mas eu devo comprar em breve, junto com o dvd do GF, hehe..
    Abrá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s